compartilhar fechar
twitter
Loading..
comentários fechar

conheço as joias a muito tempo comprei de uma revendedora e até hoje tenho uma gargantilha. hoje sou revendedora deconfecçoes e acessorios e gostaria de vendes as joias.

ACIRLEY ALVES DE SOUZA, 14 jun 2013

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

conceito

Enquanto o mundo fala de maxicolares e maxiacessórios, falaremos, nesta coleção, de maximulheres. Mulheres que sempre foram superlativas, antes deste jargão ser moda. Nossa coleção foi inspirada nelas, mulheres únicas e incomuns, mulheres fortes, à frente do tempo, que fazem da liberdade de ser uma bandeira. Jamais se prenderam à tendências, cultivam a originalidade pessoal, são mutantes, transgressoras, nunca quiseram ser como as outras. A cada dia parecem abalar a ordem das aparências - são muitas numa só.

Usam acessórios sempre de forma impactante, se apropriam deles para mudar o modo de ver e ser vistas. Para elas, menos nunca foi mais. Chamam a atenção por onde passam, e muitas vezes são tratadas como seres extraterrenos. Cheguei a conclusão que são mesmo criaturas fantásticas.

Assistir a americana, Íris Apfel, apelidada de “ave rara”, ser elevada a ícone fashion, com 92 anos, é coisa para ser comemorada. Designer e decoradora, Íris sempre subverteu a ordem e sacode os mais óbvios conceitos sobre estilo. Em um mundo em que velhos têm cada vez menos espaço, ela rompe barreiras da idade e nos parece ser sempre atual. O tempo de Íris é sempre tempo de vida. Mas ela foi apenas o início de tudo, pois aqui, bem aqui pertinho de nós, uma série de mulheres sempre me chamou a atenção, seja pela originalidade ou pelo estilo particular de ser e se vestir.

Elas sim foram as verdadeiras inspiradoras do nosso tema: Dilene Marcolino, Kekei Mesquita, Cris Guerra, Carla Mendonça, Agnes Karkasvolgyi, Lena Fraga, Ângela Azevedo, Ana Amélia Borborema, Juliana Rabelo, Cida Nogueira e Margareth Maria da Silva. Presto aqui uma homenagem especial à Many Catão. Primeira jornalista de Minas e lendária figura da sociedade mineira, que se impunha com suas vestes orientais por onde ia, sempre adornada com inúmeras bijus. Many enchia meus olhos de menina de ousadia, com sua forma irreverente e misteriosa de ser. Cada aparição de Many, me dava coragem para ser diferente. Queria ir além das vestes, antes de serem mulheres incomuns, é provável que tenham sido crianças e adolescentes notáveis.

Fomos atrás das histórias, fotos, fatos, depoimentos e fragmentos de vida dessas guerreiras. O que levou estas mulheres a serem como são, a esta visão da moda, à originalidade?! Como é ser diferente num mundo onde todo mundo quer ser igual?! Todas as entrevistas foram feitas apenas com uma pergunta: “Quem é você?” Foram jorros de vida!

Cor, coragem, alegria, audácia, irreverência, criatividade, ousadia, determinação, força e autoestima elevada, são alguns dos ingredientes da receita dessas adoráveis criaturas. Em um mundo onde a imagem fala e textos ficam subtendidos, fomos atrás do contato e da palavra escrita. Entrevistar cada uma delas, foi para minha equipe e para mim, engrandecedor. Depoimentos emocionantes, nos fizeram refletir sobre preconceitos, estereótipos da moda e beleza. Cada uma dessas mulheres incomuns, nos fala ao coração. Os depoimentos são lindos e merecem ser lidos por quem por eles se interessar.

A arte é como a medicina, tem o poder de curar.

Mary Arantes

Copiar, copiar, até fazer diferente.

Walter Benjamin
minas trend

Não só amo, como estimo.

Terezinha Pepino

Todo amor é sagrado.

Mary Arantes